Treinar para Competir

Dezembro 19, 2010

Este artigo foi traduzido do artigo Training for Competition escrito por Fanny Gott e retirado do seu blog Fanny’s Clicker Dog Blog


Ensinar os exercícios de obediência de competição pode ser por vezes complicado, mas o verdadeiro desafio é fazer com que o cão os execute tão bem em prova como nos treinos. Eu diria que cinquenta por cento do treino deveria ser preparar o cão para competir ao invés de trabalhar consecutivamente nos detalhes da execução dos exercícios. Existem diversos factores que tornam competir num desafio muito maior do que treinar, e o primeiro passo é identificar esses factores.

Aqui ficam alguns factores que eu acho que tornam tudo tão diferente:

Ausência de reforço:

Este é provavelmente o ponto mais importante. Nós adoramos recompensar os nossos cães e fazemos isso com muita frequência durante os treinos. Numa prova, o cão tem que trabalhar por períodos de sensivelmente 15 minutos sem nenhum reforço (comida ou brinquedos). A maior parte dos cães rapidamente percebem a diferença entre treinar e competir, é nesse momento que lhes começamos a chamar “ring wise”. Começe a fazer com que o seu cão execute mais do que um comportamento antes de ser reforçado desde cedo e vá aumentado o tempo e o esforço que ele tem que fazer entre recompensas gradualmente. O ideal é o seu cão estar habituado a trabalhar por períodos de tempo maiores do que aqueles que acontecem numa prova.

Ausência de sequencia:

Isto está directamente relacionado com a falta de reforço, mas levanta outro problema. Fazer vários exercícios seguidos sem reforço entre eles levanta problemas que nunca vamos ver se trabalharmos um exercício de cada vez. O resultado disto é quando vamos a uma prova e não percebemos porque é que o cão cometeu um erro – “isto nunca aconteceu durante os treinos”. Tenha a certeza que experimenta todos os exercícios numa sequência com outros exercícios antes dela. Tome nota de qualquer erro que aconteça e tente resolvê-lo antes de tentar essa sequência novamente.

Divisão de responsabilidade:

Quando treino, considero sempre o que quero que sejam as minhas responsabilidades e que responsabilidades coloco no cão. No final, tudo o que acontece é minha responsabilidade mas, eu preciso de treinar o meu cão para gerir uma quantidade grande de coisas. Eu não posso fazer tudo pelo meu cão numa prova, mas, muitos treinadores continuam a assumir toda a responsabilidade durante o treino. Eles estão sempre a ajudar o cão e nunca ensinam o cão a ser uma parte activa no treino. Quando treino os meus cães tenho sempre a divisão de responsabilidade que pretendo em mente.

A coisa mais importante é que eu nunca peço ao meu cão para trabalhar comigo. O meu cão tem que me pedir para trabalhar com ele. Eu não lhe peço para olhar para mim ou vir para a posição de “heel”. O cão tem que ter assumir a responsabilidade destas coisas se quer trabalhar comigo. Um treinador que está sempre a pedir ao seu cão para trabalhar, independentemente se o faz com “lures”, comandos ou correcções está a criar um cão mole que sabe que pode fazer outras coisas durante o treino (olhar para o que o rodeia, cheirar, perder o “focus” ) porque o condutor vai sempre dizer-lhe quando é que é importante que ele esteja atento e focado.

Tenha consigo sempre recompensas que o seu cão adore, e ensine-o a “implorar” por elas. Deixe o seu cão pedir activamente para trabalhar consigo e recompense-o por ele tomar a iniciativa.

Distracções e ambientes novos:

Claro que distracções podem fazer uma grande diferença entre treinar e competir. Tenha a certeza que inclui tudo o que possa importuna-lo a si ou o seu cão no treino.

Antes, durante e após os exercícios:

A maior parte das pessoas apenas treina os exercidos e nunca pensa em tudo o que acontece durante uma prova. Muitos cães e condutores não sabem o que fazer entre os exercícios, ou como entrar no ring para começar de uma boa forma, o que vai causar com que o cão perca o focus. Tenha a certeza que inclui o ritual de entrar no ring e as movimentações entre exercícios no seu treino.

Aquecer aqui, executar ali:

A maioria dos cães trabalha bem desde que tenha visto o sítio onde vai realizar os exercícios e tenha sido recompensado algumas vezes nesse sítio. Numa prova, você precisa de “aquecer” o seu cão longe do ring e depois estar pronto para entrar para um sítio novo e executar os exercícios imediatamente. Tenha a certeza que pratica isto regularmente durante os treinos. “Aqueça” por exemplo o seu cão no parque de estacionamento e depois entre num relvado para executar os exercícios ou “aqueça” numa parte do campo de treino e execute os exercidos noutra e deixe o seu cão segui-lo durante um pouco antes de o recompensar.

Não peça ao seu cão para se mover consigo, recompense-o se ele escolher faze-lo (e se ele não o fizer, avalie a vontade que o seu cão tem de trabalhar pela recompensa e pense quantas vezes ele pede para trabalhar vs você lhe pede para trabalhar). Gradualmente aumente o tempo que o seu cão tem de trabalhar no “ring” antes de você o recompensar, mas nem sempre o torne difícil. Surpreenda o seu cão com uma recompensa pouco tempo após iniciar de vez em quando.

A coisa mais importante a lembrar é que devemos treinar o nosso cão para provas e não apenas para os exercícios. Faça com que os seus treinos se pareçam o mais possível com provas e treine o seu cão a um nível em que os exercidos numa prova pareçam fáceis e faça com que o cão esteja acostumado a trabalhar por períodos de tempo superiores aos de uma prova sem recompensas. E não se esqueça de fazer com que o seu cão se sinta como um campeão no fim de cada prova ou de cada treino. Deve sempre existir uma grande recompensa para o cão no final.

Anúncios